terça-feira, 29 de novembro de 2011

Liderança do Partido Comunista da Índia (PCI maoísta) assassinado brutalmente


O CEBRASPO toma parte do profundo sentimento de pesar que atinge à todos os lutadores, ativistas e organizações democráticas, antiimperialistas e de lutas de libertação pelo covarde assassinato da liderança do Partido Comunista da Índia, Mallojula Koteswara Rao, conhecido como camarada Kishenji, de 58 anos. Kishenji foi morto pelas forças repressivas do Estado Indiano, que divulgaram o assassinato como um suposto “confronto” no leste da Índia, ocorrido no dia 26 de novembro.

Assim sendo, o Estado indiano deixa claro que é responsável pela morte do líder do Partido Comunista da Índia (maoísta), porém ainda existem várias dúvidas sobre circunstâncias de sua morte.

O poeta Varavara Rao, que há muito tempo é simpatizante da luta do povo indiano, declarou ao canal de notícias NDTV, que Kishenji havia saído de casa há 35 anos para se juntar à luta de seu povo e que foi morto em uma floresta no estado de Bengala Ocidental.

Nascido no estado de Andhra Pradesh, sul da Índia, Kishenji juntou-se à luta do povo indiano na década de 1980. Seu assassinato gerou uma grande comoção entre o povo da região onde nasceu. Em Peddapalli, cidade em Karimnagar, distrito de Andhra Pradesh, estão sendo realizadas manifestações para protestar contra seu assassinato.

As massas da cidade, a 200 km de Hyderabad, participam voluntariamente da uma greve para protestar contra a morte desse filho da cidade. Toda população local e líderes de várias organizações tem visitado a casa do irmão Anjaneyulu Kishenji para oferecer suas condolências. Lojas e empresas estão fechadas, bem como as instituições administrativas e educacionais.

O governo diz que a maior ameaça à segurança interna, é a “guerrilha comunista”, cuja presença se espalhou para 20 dos 28 estados da Índia. Ele usa esse discurso para continuar massacrando e desenvolvendo uma guerra aberta contra o povo. A repressão toma proporções cada vez maiores através da Operação “Caçada verde”, com a qual pretendem a tomada das terras dos povos advasis para a exploração das riquezas naturais por grandes empresas multinacionais. Essa dita operação faz parte de toda uma estratégia formulada e desenvolvida em acordo com o departamento de Estado norte-americano para conter a revolta do povo da Índia.

O imperialismo em sua crise e em particular o Estado Indiano têm tido grande dificuldade em impedir a mobilização do povo. Dessa forma, faz parte de sua estratégia uma campanha de busca e repressão seletivas para aniquilar os quadros dirigentes do movimento revolucionário. A morte de Kishenji faz parte dessa estratégia.

Porém, é sabido que a morte daqueles que lutam incansavelmente em favor do seu povo não enfraquece a luta das massas, tampouco acovarda aqueles que defendem a sua terra, autodeterminação e libertação. O assassinato de Kishenji certamente trouxe dor aos povos da Índia, mas ao contrário do que pretendem os algozes do povo, só faz aumentar a luta e resolução das massas.

CEBRASPO – Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos

28 de novembro, 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário