terça-feira, 9 de julho de 2024

 

Petrobras anuncia novo aumento na gasolina e no gás de cozinha.


Fonte: Jornal A Nova Democracia.

Novo aumento na gasolina e no gás de cozinha elevará inflação, que segue em alta.



A direção da Petrobras anunciou hoje, dia 8 de julho, um aumento de R$ 0,20 no litro da gasolina e R$ 3,10 no botijão de gás. A justificativa foi “a alta das cotações internacionais do petróleo” e a “desvalorização cambial”.

Com isso, a partir do dia 09/07, a gasolina estará custando nas refinarias R$ 3,01 (aumento de 7% em relação ao preço até então de R$ 2,81) e o botijão passará a ser vendido pela empresa por R$ 34,70. Porém, o preço deste último já ultrapassa os R$ 100,00 na maior parte das cidades brasileiras.

O último ajuste ocorreu em outubro de 2023. De lá para cá, a Petrobras afirma que estava operando abaixo dos preços praticados no mercado internacional. Se trata de um esforço para praticar o preço estrangeiro, portanto.

O reajuste também influenciará na inflação. Segundo o Boletim Focus, a projeção do IPCA (índice oficial de inflação no País) está atualmente em alta permanente por nove semanas seguidas.


segunda-feira, 8 de julho de 2024


TODO APOIO AO ACAMPAMENTO MÃE BERNADETE!




Ajude o acampamento Mãe Bernadete, faça parte do Abaixo-assinado:

https://docs.google.com/forms/d/1wVzzFnJo1zEDKS8nJF1F1RU4-fHwNQbp9u_IoqwP5Ts/viewform?edit_requested=true

Nós, movmentos populares e democráticos, homens e mulheres apoiadores da luta do povo, vimos nos posicionar de forma contundente em apoio ao Acampamento Mãe Bernadete e à brava resistência dos camponeses que neste momento erguem alto a bandeira da luta pela terra no município de Carinhanha, oeste da Bahia.


Uma ilegítima decisão judicial de reintegração de posse da Fazenda Lagoa dos Portácios, local onde foi erguido o Acampamento, foi tomada em Novembro de 2023 e os camponeses estão sob risco de serem expulsos das terras que a eles pertencem. Expressamos nossa indignação contra essa decisão arbitrária e exigimos a suspensão imediata da ordem de reintegração de posse, com a titulação da terra aos camponeses.
No dia 19 de agosto de 2023, após mais de 20 anos de abandono da Fazenda Lagoa dos Portácios (6800 hectares) por parte da mineradora Calsete, os camponeses decidiram tomar aquelas terras. Esses camponeses são posseiros, verdadeiros donos dessas terras que vem trabalhando há décadas com pequenas criações, carvoarias, etc. sem nenhum direito trabalhista assegurado.


O Acampamento Mãe Bernadete recebeu esse nome como uma homenagem à importante liderança quilombola Mãe Bernadete Pacífico, assassinada brutalmente por pistoleiros a soldo do latifúndio dentro da associação do Quilombo Pitanga dos Palmares, em Simões Filho, no dia 17 de agosto de 2023. Um de seus filhos, Gabriel Pacífico, já havia sido assassinado em 2017 e mesmo com as repetidas denúncias de perseguição e ameaças, nada foi feito.


As mais de 100 famílias organizadas no Acampamento Mãe Bernadete sofreram diversos ataques nos últimos meses, como incêndio de barracos, ameaças de morte, destruição de plantações e criações, entre outros absurdos. Tudo isso porque o latifúndio quer perpetuar seu monopólio e impedir que os camponeses exerçam seu justo direito à terra, estipulado na Constituição Federal no Artigo 186, CF/88). Mesmo sob todas essas injustiças, as famílias tem resistido firmemente e trabalhado em seus lotes, plantando numa terra at

é então improdutiva e inútil para a população da cidade e de todo o país.
Manifestamos nosso apoio e solidariedade aos camponeses do Acampamento Mãe Bernadete e à Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia, exigindo a revogação imediata da decisão liminar que determinou a reintegração de posse e defendendo titulação da terra aos camponeses em luta, seus verdadeiros donos.

Todo apoio ao Acampamento Mãe Bernadete!


Pela suspensão imediata da Reintegração de Posse!

Titulação das terras aos camponeses!

Terra para quem nela vive e trabalha!

Salvador, Bahia.
17 de junho de 2024

 

SP: Apoio a Resistência Nacional Palestina toma a Avenida Paulista.


Fonte: Jornal A Nova Democracia.

Manifestação em apoio à Resistência Nacional Palestina tomou as ruas de São Paulo no dia 30 de junho.


No dia 30 de junho, milhares de manifestantes se reuniram na Avenida Paulista para prestar seu apoio e solidariedade à causa Palestina. Estiveram presentes representantes do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (Cebraspo), da Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL), do Instituto Brasil Palestina (Ibraspal) e outros.

Dentre os manifestantes se reuniram professores, estudantes, operários, movimentos de moradia e movimentos indígenas, e personalidades como Ibrahim Sayid Tenório, vice-presidente do Ibraspal e Breno Altman, fundador do Opera Mundi.

Os manifestantes também expressaram um forte apoio às organizações populares palestinas. Bandeiras do Hamas e da FPLP foram erguidas durante o protesto.

Durante a manifestação houve uma tentativa de atentado contra os manifestantes. Um elemento reacionário jogou uma bomba de efeito moral no alto de um prédio que, apesar de atingir a manifestação, não feriu nenhum de seus participantes.

A manifestação cumpriu o seu trajeto da Praça Oswaldo Cruz até o MASP.