quinta-feira, 16 de agosto de 2018

AÇÕES INTERNACIONAIS DE SOLIDARIEDADE AOS 23

Atendendo ao chamado de solidariedade internacional com os 23 ativistas recentemente condenados e todos e todas que lutam, diversas organizações populares, democráticas e revolucionárias ao redor do mundo tem demonstrado seu apoio, através de notas ou ações em seus países.
A seguir, compartilhamos algumas que recebemos:

Faixa é estendida no bairro de Lentillères, França.

Da França, recebemos apoio do Bairro Livre de Lentillères:
"Mensagem do Bairro Livre de Lentillères em apoio às 23 pessoas
condenadas no Rio de Janeiro

O Bairro Livre de Lentillères, zona agrícola ocupada na cidade de Dijon,

França, em luta contra a destruição de terras de plantio, apoia as 23
pessoas condenadas no Rio de janeiro, Brasil.

Apoiamos todas as pessoas que lutam contra o sistema vigente e contra

todas as formas de opressão.

Quartier Libre de Lentillères / Bairro Livre de Lentillères

Dijon, août 2018 / agosto de 2018"


Ahed Tamimi se solidariza com os 23




Ativistas chilenos gravam vídeo em solidariedade aos 23


Da Alemanha, recebemos apoio de diversas regiões, como Berlim e Bremen, com faixas e murais exigindo a liberdade dos ativistas. Organizações democráticas e revolucionárias também fizeram notas de apoio, como a Associação de Nova Democracia - Hamburgo e o blog internacionalista Dem Volke Dienen (Servir ao Povo, em alemão). O Dem Volke Dienen também repercutiu o chamamento internacional dos 23 em seu site.



Nos Balcãs, segundo reportagem do New Epoch Media, na antiga região da Iugoslava, uma ação que contou com pessoas da Sérbia, Bósnia-Herzegovina, Turquia e Áustria foi realizada em uma área que foi usada por partisans no passado. Os ativistas também se solidarizaram com a luta revolucionária da Índia.


Faixas são estendidas no Estádio Olímpia na Grécia



Na Suécia e na Dinamarca foram feitos murais em diversos bairros.




Da Rússia, recebemos nota de apoio da Universidade da Rússia, que pode ser visualizada no seguinte endereço.


E muitas outras organizações se posicionaram ou ainda estão por se posicionar internacionalmente, comprovando que a campanha não é só pelos 23, mas é por todos e todas que lutam!

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

RIO: ATO PELOS 23, CONTRA INTERVENÇÃO MILITAR, CONTRA O GENOCÍDIO NAS FAVELAS E EM REPÚDIO AO ASSASSINATO DE MARIELLE

Foto de Ellan Lustosa

No dia 14 de agosto estivemos presente em grande ato realizado por centenas de pessoas no Centro do Rio, cujos temas eram a defesa dos 23 ativistas recentemente condenados em primeira instância, pelo direito à livre manifestação, contra a intervenção militar, contra o genocídio do povo pobre e negro nas favelas e em repúdio ao assassinato político de Marielle Franco. 

A manifestação ficou marcada pela sua grande combatividade, contando com a importante participação de mães e familiares de vítimas do genocídio do povo negro e pobre cometido pelo Estado. Ativistas progressistas, membros de movimentos revolucionários, populares, estudantis e democráticos e os próprios familiares das vítimas da violência de Estado fizeram falas contundentes, denunciando a guerra que é travada contra as massas populares, a intervenção militar que intensificou a violência cometida pelo Estado, o assassinato de Marielle Franco e a perseguição política que vem sofrendo a juventude que se rebela contra todas essas injustiças. 

Marcaram também as falas, a denúncia de que o Estado que comete chacinas nas favelas é o mesmo que persegue o povo que luta, perseguição essa expressa na condenação dos 23 ativistas. As mães de vítimas da violência denunciaram os crimes do Estado, reafirmaram sua decisão de manterem-se na luta combativa, além de estenderem sua solidariedade aos 23 lutadores do povo. 

No decorrer do ato, os participantes também saudaram o apoio internacional recebido desde a Palestina, através da jovem combatente Ahed Tamimi.

Ahed Tamimi, combatente palestina, solidariza-se com os 23

O ato terminou na Cinelândia, em frente à Câmara Municipal, onde as mães continuaram suas manifestações de indignação e revolta contra esse estado de miséria, opressão e violência à que é submetido as classes populares de nosso país. 

As ações de solidariedade repercutiram em outros lugares no país como em Belo Horizonte, MG, onde foi realizado cinedebate sobre o filme "Operações de Garantia da Lei e da Ordem" e em Montes Claros, MG onde ocorreu uma agitação do Dia Nacional de Luta por estudantes da Executiva Nacional dos Estudantes de Pedagogia (ExNEPe) e Executiva Nacional de Estudantes de Filosofia (ENEF) e os participantes prestaram apoio aos 23.

Na preparação do ato, os manifestantes também realizaram um chamado internacional de solidariedade à todas e todos que lutam, o que foi atendido por várias organizações e entidades como a Agrupación de Víctimas de violencia policial e outras organizações no Chile, membros da Universidade de Moscou, além do próprio apoio da jovem palestina Ahed Tamimi.


Para mais informações, acessar o seguinte endereço: https://anovademocracia.com.br/noticias/9342-centenas-marcham-no-rio-contra-a-intervencao-militar-e-a-condenacao-dos-23

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

ADVOGADO DA IAPL É DEPORTADO DAS FILIPINAS

ADVOGADO POPULAR AUSTRALIANO, GILL BOEHRINGER, É DEPORTADO DAS FILIPINAS

Recebemos por nosso correio eletrônico grave denúncia da deportação do Professor de direito Gill Boehringer, advogado do povo australiano e membro da IAPL/ Associação Internacional dos Advogados do Povoque estava nas Filipinas. Gill Boehringer está sendo deportado sob a acusação de participar de feiras contra a APEC (ÁSIA - COOPERAÇÃO ECONÔMICA DO PACÍFICO), sendo criminalizado simplesmente por participar de eventos públicos.

O CEBRASPO repudia veementemente essa atitude do Estado filipino, e estende sua solidariedade à esse importante advogado popular.


Professor Gill Boehringer, advogado do povo internacionalista

Divulgamos abaixo a nota que recebemos:

"8 de agosto de 2018

Professor de Direito, australiano, está sendo deportado das Filipinas

O professor de Direito, aposentado, Gill Boehringer, foi detido em sua chegada a Manila


No dia 7 de agosto foi dito que ele seria deportado às 8h30 do dia 8 de agosto sob a alegação de que teria participado em feiras contra a APEC (ÁSIA - COOPERAÇÃO ECONÔMICA DO PACÍFICO).

'Pedimos ao governo de Duterte que cancele esta ordem de deportação, e também pedirmos à ministra dos Negócios Estrangeiros, Julie Bishop, para tomar medidas sobre este caso', disse Peter Murphy, da Coalizão Internacional para o Direitos nas Filipinas.

Advogados nas Filipinas estão trabalhando duro para atrasar ou bloquear esta deportação.  O Professor Boehringer tem mais de 80 anos, e tem sido um visitante freqüente a este país, sendo casado com uma filipina que mora em Mindanao. Por causa de sua idade e suscetibilidade a coágulos sanguíneos, eles pediram que a deportação fosse, pelo menos,  adiada. Isso também é para permitir que sua esposa pudesse chegar em Manila para vê-lo e também para permitir-lhe mais descanso.

A última reunião dos líderes da Apec nas Filipinas foi em novembro de 2015 e o Professor Boehringer visitou e ficou nas Filipinas muitas vezes e por longos períodos desde então, sem quaisquer problemas levantados contra ele.

No entanto, o caso do Professor Boehringer é semelhante ao da missionária religiosa australiana Irmã Patricia Fox, 71 anos, que agora tem contra si uma ordem de deportação apresentada pela primeira vez em abril deste ano, novamente com base em 'participação em comícios'. O governo de Duterte agora tem um padrão de ação contra estrangeiros que testemunham a dura repressão sendo imposta por seu governo."

terça-feira, 7 de agosto de 2018

AGRAVA-SE O ESTADO DE SAÚDE DO PRESO POLÍTICO KOBAD GHANDY

AUTORIDADES INDIANAS RECUSAM TRATAMENTO MÉDICO À PRESO POLÍTICO KOBAD GHANDY



Recebemos em nosso correio eletrônico grave denúncia de omissão por parte do Estado indiano, ao negar tratamento médico ao preso político Kobad Ghandy.
Ghandy sofre de hipertensão, artrite e hérnia de disco, além de ter sido tratado recentemente por conta de um câncer de próstata. Em recente exame realizado em julho de 2018, resultados comprovaram que seu estado de saúde se deteriorou, porém o Estado insiste em ignorar tais resultados.
Ele é acusado de ter se associado ao Partido Comunista da Índia Marxista Leninista - Guerra Popular e de ter participado de uma ação rebelde em 2007, embora o Estado ainda não o tenha condenado por tais acusações. 

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

ORGANIZAÇÃO DO EQUADOR LANÇA ARTE EM SOLIDARIEDADE COM A CAMPANHA DOS 23

Estamos divulgando a seguir, arte de cartaz feito pela Frente de Defensa de Lutas del Pueblo (FDLP, Equador) em solidariedade com a campanha dos 23 ativistas que foram condenados recentemente pela participação dos protestos de junho de 2013 e contra a Copa da Fifa em 2014.


A FDLP também lançou nota em apoio aos ativistas, que pode ser lida acessando o seguinte link: https://drive.google.com/file/d/0B7nNcx2XLij0WU9KS1UyZFdTVFJqT2xsZEVhcVhJVXZLRHB3/view?usp=sharing

quarta-feira, 25 de julho de 2018

PISTOLEIROS EXECUTAM CAMPONÊS E FEREM GRAVEMENTE FILHA EM RONDÔNIA

CAMPONÊS É EXECUTADO A TIROS E SUA FILHA É ATINGIDA PELOS DISPAROS

Condenamos veementemente o ataque de pistoleiros que ceifaram a vida de Ismauro Fatimo dos Santos (49 anos, conhecido como Paraná) liderança do movimento camponês e deixaram sua filha de 16 anos em estado grave, atingida na cabeça pelos disparos. Exigimos que os órgãos competentes apurem o caso com o máximo rigor para punir os autores e os mandantes do crime! Exigimos que todos os órgãos competentes não se omitam nesse gravíssimo caso de violência na terra que já se soma a tantos outros no estado de Rondônia.




Escrito por LCP de Rondônia e Amazônia Ocidental | Publicado 24 de julho de 2018

No dia 22 de julho, Ismauro Fatimo dos Santos de 49 anos foi assassinado a tiros na estrada, próximo a linha 14, quando se deslocava de carro para o acampamento Enilson Ribeiro em Seringueiras. Sua filha de 16 anos também foi atingida com um disparo na cabeça e está internada em estado gravíssimo. Segundo testemunhas, um grupo de pistoleiros interceptou o veículo de Ismauro, e em seguida fez disparos certeiros, sendo que dos quatro tiros que atingiu Ismauro, três foram na cabeça.

Ismauro Fatimo dos Santos e filha

Ismauro era conhecido pelo apelido de Paraná, era morador da área Paulo Freire 4 e estava apoiando a tomada da área Enilson Ribeiro.

quinta-feira, 19 de julho de 2018

MANIFESTAÇÕES DE REPÚDIO À SENTENÇA DOS 23

Diversas entidades nacionais e internacionais, sindicatos e personalidades democráticas e progressistas se posicionaram em repudio a condenação dos 23 ativistas e em defesa do direito de manifestação e organização. Nós do CEBRASPO reforçamos o chamado e convocamos a todos os democratas, intelectuais honestos, organizações populares e classistas a se posicionarem contra esta absurda sentença que é mais uma expressão do avanço do estado de exceção que se impõe em nosso país.


Abaixo seguem os links com as notas e manifestações de solidariedade começando pela nota dos processados:

Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (SEPE) RJ: http://www.seperj.org.br/ver_noticia.php?cod_noticia=20981



Movimento Advogados pela Legalidade Democrática - Núcleo RJ (ALDRJ):
https://www.facebook.com/juristaspelademocracia/posts/2097326943861852

ABJD (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE JURISTAS PELA DEMOCRACIA) - NÚCLEO RJ: 


Associação de Docentes da UERJ (ASDUERJ): https://www.asduerj.org.br/index.php/80-historia-da-associacao/437-nota-de-repudio-a-condenacao-dos-23-ativistas

Carta de Apoio Assinada por 66 professores da UFRJ:

Associação de Docentes do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca – ADCEFET-RJ: 

http://adcefetrj.org.br/adcefetrj/2018/07/23/nota-de-repudio-da-adcefetrj-a-condenacao-dos-23-ativistas/

Comissão de Direitos Humanos do Conselho Federal de Psicologia: 

https://site.cfp.org.br/nota-publica-em-repudio-a-condenacao-de-23-ativistas-de-direitos-em-17-de-julho-de-2018/

Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro - CRP RJ:

https://www.facebook.com/crprj/posts/1809655899122915/

MUDI -Movimento de Moradores e Usuários em Defesa do IASERJ/SUS: https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=2019866618066224&id=580327985353435

Vladimir Safatle (Professor de filosofia da USP):
http://emporiododireito.com.br/leitura/que-sentenca-foi-essa

Lenio Luiz Streck (Jurista): 


Paulo Baía (cientista político e professor da UFRJ):

Marema Valadão e Renato Tapajós (Cineastas): 
https://www.facebook.com/coletivomariachi/photos/a.291536030986255.1073741828.280853248721200/1157694304370419/?type=3&theater

Fabiano Lemos (Professor de Filosofia - UERJ):


Red Study Circle (Círculo de Estudo Vermelho) / Gnisten (Faísca) - Dinamarca:
http://www.demvolkedienen.org/index.php/en/europa/2511-action-in-solidarity-with-igor-mendes-and-the-23-from-denmark

Periódico El Pueblo - Chile:

Yeni Demokrasi Gazetesi (Jornal a Nova Democracia - Turquia):
http://www.yenidemokrasi1.net/igor-mendes-da-silvaya-ozgurluk-devrimci-tutsaklarla-dayanismaya.html

Frente de Defensa de Luchas del Pueblo (FDLP - Frente de Defesa de Lutas do Povo) - Equador:
https://drive.google.com/file/d/0B7nNcx2XLij0WU9KS1UyZFdTVFJqT2xsZEVhcVhJVXZLRHB3/view?usp=sharing

Abogados del Pueblo, Comité de Defensa del Pueblo Hermanos Vergara Toledo e Defensoría Popular (Documento assinado por três organizações de advogados democráticos do Chile):

https://docs.google.com/document/d/1bvZCqQyJA8ZTOGcjrrj5vzQm94hInBkRuaxAYOREpTQ/edit?usp=sharing

quarta-feira, 18 de julho de 2018

NOTA DOS ATIVISTAS CONDENADOS POR CONTA DAS MANIFESTAÇÕES DE 2013/2014

Companheiras e companheiros, segue adiante nota de repúdio assinada por 13 dos 23 ativistas que foram condenados devido a participação nos protestos de junho de 2013 e contra a farra da FIFA.


Nota de repúdio e de chamamento à luta
- Assinam esta nota 13 dos 23 ativistas condenados pelos protestos no Rio -
         Ontem, 17/07, o juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau finalmente entregou o serviço para o qual foi escalado por Sérgio Cabral há quatro anos atrás: condenou todos os 23 ativistas envolvidos nos protestos contra a farra da FIFA a penas que vão de 5 a 13 anos de prisão, em regime inicialmente fechado.
Quais crimes nós cometemos?
Ousamos denunciar os desmandos de Sérgio Cabral, Pezão & CIA, acobertados todo o tempo por parte do Poder Judiciário e do Ministério Público do Rio?
Ousamos denunciar a farra da Copa da FIFA, cujo único “legado” que restou para o povo foram os escombros das comunidades removidas e a quebradeira dos serviços públicos?
Ousamos participar, como estudantes e trabalhadores, ombro a ombro com milhões de pessoas nas maiores manifestações de massas da história recente do país?
Ousamos atuar ao lado de movimentos populares independentes, que não se curvam ou se vendem às “tenebrosas transações” da politicalha oficial que nos desgoverna, cujos maiores símbolos são Pezão e Temer?
Se disso nos acusam, temos que aceitar com orgulho o que dizem os nossos algozes. Porque foi isso mesmo que fizemos, ou seja, lutamos. Todos precisam compreender que é a toda nossa geração que buscam condenar e intimidar com esta sentença infame. Mas não conseguirão: carregamos a teimosia própria dos que insistem em ter fé na vida, fé na luta, fé no povo. A teimosia dos milhares que marcharam na Praça Saens Peña, no dia da final da Copa do Mundo, apenas algumas horas depois que dezenas de ativistas foram presos e enviados para Bangu. Nós temos lado, e este não é o lado da casa grande. Se disso nos acusam, muito obrigado, pois.
Com esta sentença, o Sr. Itabaiana entra para a história pela porta dos fundos. Será sempre lembrado como aquele que perseguiu de modo implacável a juventude de junho de 2013. Que fique registrado: o que se fez no Rio de Janeiro, quanto aos procedimentos persecutórios, prisões abusivas, invasões de residências, infiltração ilegal, grampos de advogados a até uma “delação premiada informal” (a do sabujo Felipe Braz, cujo depoimento é praticamente a única “prova” apresentada para nos condenar) não teve par em nenhum outro lugar do Brasil. Talvez os carrascos se orgulhem do seu serviço; a esse “orgulho” nós achamos mais coerente chamar: VERGONHA!
Sim, porque é vergonhoso que os manifestantes contra a farra da FIFA sejam condenados, quando hoje grande parte dos próprios organizadores da Copa estão presos! Quando o ex-governador que nos reprimiu com selvageria está preso! Quando o país é levado à beira da fome e da devastação social pelos mesmos vampiros que tremeram de ódio quando a juventude tomou as ruas! Quando a Rede Globo, que nos perseguiu, ainda não explicou as suas negociatas em torno dos megaeventos!
Alguma palavra sobre a “conduta reprovável” e “personalidade distorcida” dessas pessoas, senhor juiz?
Reafirmamos o que dissemos ao longo de todos estes anos: LUTAR NÃO É CRIME! Crime é o estado de calamidade oferecido ao povo na fila dos hospitais, crime é a falta de vaga nas creches, crime são os ônibus caros e superlotados, crime é o que se pratica diariamente nas favelas, ensanguentadas pelo genocídio do povo preto e pobre. Isto é crime! E estes crimes, tenham certeza, não ficarão impunes para sempre.
Em tempos de sérios ataques aos direitos trabalhistas e sociais, é fundamental desfraldar bem alto as bandeiras da liberdade de expressão e de manifestação, sem as quais nenhum outro direito pode ser defendido, muito menos conquistado. Isso é ainda mais importante quando o Rio se vê sob uma intervenção militar, e assistimos quase diariamente oficiais discursando abertamente sobre a possibilidade de um golpe militar no país. Conclamamos todos/as os/as lutadores/as, trabalhadores/as, estudantes, coletivos, ativistas, intelectuais e democratas a se manifestarem nessa campanha. Não é só pelos 23: é por todos os que lutam!
Lutar não é crime!
Fascistas, hoje e sempre: não passarão!
Viva as jornadas de junho de 2013!

Assinam esta nota:
Bruno de Sousa Vieira Machado
Elisa Quadros Pinto Sanzi
Emerson Raphael Oliveira da Fonseca
Felipe Frieb de Carvalho
Filipe Proença de Carvalho Moraes
Igor Mendes da Silva
Joseane Maria Araújo de Freitas
Leonardo Fortini Baroni
Luiz Carlos Rendeiro Júnior
Pedro Guilherme Mascarenhas Freire
Rafael Rêgo Barros Caruso
Rebeca Martins de Souza
Shirlene Feitoza da Fonseca