segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

CHILE: POSICIONAMENTO DOS PRESOS POLÍTICOS MAPUCHE NA PRISÃO DE ANGOL

Resultado de imagem para manifestação mapuche


POSICIONAMENTO DOS PRESOS POLÍTICOS MAPUCHE NA PRISÃO DE ANGOL
Fevereiro de 2020

Marri marri kom pu che, pu peñi, kom pu lamgen, kom pu pichikeche, dirigimo-nos ao nosso povo Mapuche em resistência, organizações sociais nacionais e internacionais; Por meio desta carta aberta, vimos manifestar nossa posição política.

Há muitos anos, vem-se falando sobre a constante luta mapuche. Mas a luta de qualquer povo que se levante contra o Estado que os oprime tem como conseqüências a prisão ou a morte. Por isso, não queremos perder esta oportunidade para prestar uma sincera homenagem a todos os Mapuche mortos pelo Estado do Chile e pelo poder econômico. Estes Mapuche têm nomes e sobrenomes, é por eles que estamos tremendamente orgulhosos desta luta travada por homens e mulheres valentes.

Por outro lado, tampouco esquecemos os Weichafe, que dia a dia percorrem o caminho da luta por libertação, bem como o caminho de Leftraru, Maguil, Pelantaru, Kilapan e todos os Mapuche que dedicaram suas vidas nos últimos tempos; os Weichafe conferem dignidade e valor ao povo da nação Mapuche.

Para nós, os presos políticos Mapuche da prisão de Angol, é muito importantes deixar claro que nossa luta é para recuperar nosso território, como objetivo principal, para consequentemente gerar autonomia em todos os sentidos. Portanto, nossa luta é contra o Estado e o grande empresariado que agride e corrompe as comunidades Mapuche. É por isso que, diante das novas idéias que resultaram das mobilizações sociais que pressionaram o Estado e os partidos políticos tradicionais, queremos deixar claro que não partilhamos de propostas como: assembléia constituinte, assentos reservados aos povos indígenas e nem Estado Plurinacional - todas essas idéias visam suprimir nosso povo Mapuche.

Hoje, o Estado, com todas as suas instituições, tenta isolar os que se levantam contra os opressores:

Ministério do Interior: manipula politicamente as instituições para perseguir o povo Mapuche e os movimentos sociais em geral.

Tribunais: aplicam sentenças abusivas quando se trata da luta Mapuche, sob ordens do governo e do poder econômico, pois, como povos Mapuche, sofremos condenações antecipadas antes do julgamento, em conluio com os meios de comunicação, encarregados de deslegitimar a justa demanda pela recuperação do território.

Ministério Público: juntamente com a polícia, com o PDI (polícia investigativa) e com os organismos de inteligência, assediam, perseguem, torturam, fabricam evidências e manipulam provas.

Organizações nacionais e regionais de Direitos Humanos: limitam-se a cumprir funções porque dependem do Estado, ao passo que são informantes, o que é totalmente contraditório à declaração das Nações Unidas sobre os direitos dos povos indígenas.

Polícia de custódia/prisional (Gendarmería): diligências abusivas e tortura, negando acesso à nossa cultura espiritual Mapuche, violando suas próprias leis e tratados internacionais, que respaldam nosso povo (Convenção 169 da OIT)

Defensoria Penal Mapuche: a agência foi criada pelo Estado, para demonstrar que o Mapuche teria acesso à defesa e à justiça. No entanto, é uma agência à disposição do Estado para condenar e aprisionar o Mapuche.

Essas mesmas instituições são as que hoje matam, torturam, aprisionam e reprimem o movimento social.

Como combatentes Mapuche dignos, é contraditório, para dizer o mínimo. Não queremos integrar um Estado que há anos nos condena à pobreza e ao extermínio. Seria trair aqueles que deram a vida pela liberdade do nosso povo. Nós, as comunidades em resistência e os presos políticos Mapuche não estamos dispostos a negociar o sangue de nossos irmãos mortos pelo Estado do Chile.

Da prisão de Angol,

AMULEPE TAIN WEICHAN!!!!

MARRICHIWEU!!!!



José Queipul Huaiquil
Freddy Marileo Marileo
Danilo Nahuelpi Millanao
Juan Calbucoy Montanares
Javier Lagos Morales
Cristian Curinao Catrileo
Juan Queipul Millanao
Sinecio Huenchullan Queipul
Sergio Levinao Levinao

Víctor Llanquileo Pilquiman

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

EQUADOR: ESTADO PROMOVE PERSEGUIÇÃO CONTRA SINDICALISTA

Semanas após realizar um prisão puramente política contra o ativista Cristian Montero, o regime de Moreno inicia uma grave perseguição política contra o militante Joaquín Chaluisa, secretário-geral do Osuntramsa (Sindicato dos Trabalhadores da Saúde), denuncia a Frente de Defesa das Lutas do Povo (FDLP) em nota divulgado em seu portal.



A FDLP denuncia ainda o conluio espúrio entre a mineradora chinesa, Yankuang Donghua, interessada em tomar as terras que camponeses como Cristian Montero lutavam para conquistar:

"Semanas atrás, Cristian Montero, um líder camponês preso sem nenhum argumento ou evidência legal, foi preso, mas acusado pelo estado de crimes de rebelião, paralisia de estradas e serviços públicos; Em suma, tendo participado da rebelião de outubro. O curioso é que, na audiência sob acusação realizada há alguns dias na cidade de Quevedo, o promotor estava acompanhado de executivos e advogados da mineradora chinesa Yankuang Donghua, que atua nas províncias de Bolívar, Cotopaxi e Los Ríos, que sem ter relação alguma com os crimes imputados ao parceiro, presenciou a ação persecutória e repressiva do velho estado. Ou seja, a captura de Cristian não tem necessariamente a ver com a revolta de outubro, mas por causa da luta de resistência liderada pelo companheiro contra a penetração da mineração em larga escala na região.

Não satisfeito o regime, hoje ele dirige sua ofensiva contra o elemento consciente do movimento sindical: Joaquín Chaluisa.

Como convém a um líder de classe, o colega Joaquin, como secretário-geral do Osuntramsa (sindicato dos trabalhadores da saúde), estava nas ruas liderando os trabalhadores nas lutas de outubro; hoje foi processado pelo governo com o mesmo formato: rebelião, paralisia de serviços públicos, etc., cujo intuito é a de eliminar ou neutralizar o elemento consciente da classe para abrir caminho a lideranças revisionistas e oportunistas, entregues ao regime e assim enfraquecer a grande ofensiva popular ainda latente."

Os membros da FDLP prosseguem exigindo liberdade imediata para o companheiro Cristian Montero e o fim da perseguição política à Joaquin Chaluisa. Nós, do CEBRASPO, reiteramos as exigências dos companheiros da FDLP, repudiamos os ataques do velho estado àquelas e aqueles que lutam pelos direitos do povo e convocamos os militantes e entidades democráticas, revolucionárias e progressistas à repudiarem a prisão e perseguição e exigirem liberdade aos presos políticos democráticos e revolucionários do Equador!

A nota pode ser lida em sua íntegra no seguinte endereço:  http://fdlp-ec.blogspot.com/2020/01/no-la-persecucion-politica-del.html?m=1

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2020

BOLETIM INFORMATIVO CEBRASPO - EDIÇÃO Nº 20

BOLETIM CEBRASPO: SOLIDARIEDADE INTERNACIONAL E A LUTA DOS POVOS NO BRASIL E NO MUNDO. EM DEFESA DA LIBERDADE DOS PRESOS POLÍTICOS DEMOCRATAS E REVOLUCIONÁRIOS

CEBRASPO - Defender o direito do povo lutar pelos seus direitos!


Edição nº 20 - Janeiro, 2020

Companheiras e companheiros,

Estamos enviando nosso boletim informativo com uma relação de notícias dos acontecimentos dos povos em luta no Brasil e no mundo.






Wanderson de Jesus Rodrigues Fernandes (a esquerda) e seu pai, Celino Fernandes (a direita)/Foto: Fóruns e Redes de Cidadania do Maranhão

Reproduzimos​ em nosso blog​ nota pública, assinada por diversas entidades e organizações, denunciando o covarde assassinato de dois camponeses na comunidade de Cedro, na Baixada Ocidental Maranhense (Arari), no Maranhão. Segundo a nota, na madrugada do dia 05 de janeiro de 2020, quatro pistoleiros fortemente armados, invadiram a residência de CELINO FERNANDES e WANDERSON DE JESUS RODRIGUES FERNANDES, pai e filho, respectivamente, moradores da comunidade Cedro, município de Arari e os executaram com vários disparos de arma de fogo nos seus rostos, sem oportunidade de qualquer defesa, fato presenciado pela esposa, filhos e netos; Os dois camponeses, juntamente com Adriana de Jesus Rodrigues Fernandes, filha de Celino, já haviam sido criminalizados anteriormente, e ficaram presos por 70 dias, conforme denunciam na nota.​ 
A nota pode ser visualizada em sua íntegra no seguinte endereço:


INTERNACIONAL:

Cristian Montero, ativista político, foi preso pela polícia equatoriana, segundo nota difundida pela Frente de Lutas em Defesa do Povo (FLDP) do Equador. O ativista foi acusado de rebeldia, paralisação de serviços públicos e terrorismo, entre outras coisas. Na realidade, ele participa da luta contra as grandes mineradoras que expulsam camponeses no interior do país.
​Pelo menos 33 crianças palestinas detidas pelo Estado de Israel foram transferidas da prisão de Ofer para a de Damoun, em um processo impróprio sem a presença de responsáveis adultos. A Sociedade de Prisioneiros da Palestina (PPS) denunciou em um comunicado oficial que tal ação compromete a responsabilidade de fornecer direitos de guarda a menores de idade, deixando-os vulneráveis a abusos por parte das forças de repressão sionistas. 

Segundo o portal de notícias internacional Dazibao Rojo, foi preso em 18 de janeiro de 2020 o Professor da Universidade de Osmania, Chintakindi Kaseem, detido pela polícia de Telengana sob a draconiana Lei de Prevenção de Atividades Ilegais (UAPA) por suposto envolvimento com os revolucionários maoístas do Partido Comunista da Índia (Maoísta).​​

O Escritório de Recrutamento Militar de Austin, Texas, amanheceu no dia 25 de janeiro com pichações escritas Combater e resistir ao imperialismo ianque, junto de enormes foices e martelo em suas janelas. O escritório recruta para todos os ramos das Forças Armadas do USA, como Exército, Marinha e Força Aérea.​ ​A ação vem junto da campanha de revolucionários estadunidenses contra a agressão imperialista, mais recentemente contra a nação iraniana, assim como a sanha dos imperialistas em pilhar os recursos naturais e travar guerras de rapina contra diversos países do Oriente Médio visando dominá-los. No dia 9 de janeiro, dezenas de pessoas em Charlotte realizaram uma manifestação anti-agressão imperialista, com uma ativista sendo brutalmente presa, acusada de violação de uma ordem de silêncio quando falava ao megafone. As tentativas da polícia de parar ou isolar o evento foram recebidas com grande resistência por parte dos participantes.


Bombeiros marcharam em Paris, no dia 28 de janeiro, contra a “reforma da Previdência” propugnada pelo presidente Emmanuel Macron. Esse é um dos episódios da luta contra a medida, que engloba jovens, operários de diversos ramos da indústria e demais trabalhadores.​ ​Os bombeiros, em particular, pedem também melhores salários e condições de trabalho, incluindo um aumento na sua bonificação por risco que não é incrementada desde 1990. A marcha contou com um contingente de 7 a 10 mil pessoas.
Após 77 dias de manifestações pela derrubada do governo Piñera e contra o Neoliberalismo, ontem foi a noite mais violenta. Houve manifestações por todo país e 3 governos locais foram simplesmente banidos das cidades sede. Uma pessoa foi assassinada, outra está em estado grave, com traumatismo craniano, há ao menos 120 presos. ​Denúncias do uso de substâncias químicas também tem sido relatada pelos manifestantes, comprovada por análises laboratoriais de instituições como o ​Colégio de Químicos Farmacêuticos e Bioquímicos do Chile.


NACIONAL

Na madrugada do dia 1º de dezembro, a Polícia Militar (PM) do governador João Doria/PSDB assassinou nove jovens ao atacar um baile funk que era realizado na favela de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo. Os agentes de repressão realizavam a Operação “Pancadão” e a multidão que se divertia no evento se assustou com os barulhos de disparos dos militares. Em meio ao tumulto, jovens foram torturados, espancados e asfixiados pelos militares.


No dia 2 de janeiro, usuários realizaram mais um ato em frente ao​​ Hospital de Emergência de Macapá contra a demora na realização de cirurgias ortopédicas. Em alguns casos a demora dura mais de três meses. Os trabalhadores, apesar de adoecidos, decidiram interditar a via completamente e apenas a passagem de ambulâncias era liberada.
Moradores do bairro Barroso, em Fortaleza, fizeram uma manifestação, no dia 2 de janeiro, cobrando punição para os policiais militares que participaram da abordagem ao cabeleireiro Aldicélio da Silva Frazão, de 31 anos, que faleceu no dia 1 de janeiro após um período internado.​ ​Aldicélio foi abordado por policiais militares no dia 28 de dezembro e, segundo a população, foi submetido a torturas pelos militares. Em decorrência delas, o homem faleceu e os assassinos estão impunes.

​Um trator blindado conhecido como “caveirão”, a mando do latifúndio, passou por cima de oito moradias do povo Guarani Kaiowá. O ataque aconteceu na área de retomada Nhu Vera, em Dourados, no Mato Grosso do Sul.​ ​Os indígenas que dormiam na área foram acordados pelo barulho do trator e fugiram antes do avanço da máquina. Pistoleiros que estavam nos arredores incendiaram o que sobrou das moradias como madeira, lona e pertences pessoais dos indígenas. Como resposta, os guarani kaiowá atearam fogo no trator blindado.​ ​A Polícia Militar (PM) chegou no início da manhã e deu continuidade ao trabalho do latifúndio, atirando com balas de borracha e bombas de efeito moral contra os indígenas. Enquanto agiam com truculência, os paramilitares do latifúndio começaram a plantar soja no território de retomada dos guarani kaiowá, sob a proteção policial.

O governo federal encabeçado p​or​ Bolsonaro, sob a tutela dos generais do Alto Comando das Forças Armadas (ACFA), anunciou no dia 21 de janeiro a criação de uma “Força Nacional Ambiental” que atuará na Amazônia com o pretexto de combater o desmatamento. Essa tropa, que reunirá milhares de policiais militares, será comandada pelo Conselho da Amazônia, presidido pelo vice-presidente e general reacionário Hamilton Mourão, conselho este que servirá para coordenar as ações voltadas supostamente para a “proteção” e “defesa” da região. A proposta já havia sido feita durante o governo de Luiz Inácio, em 2008.​ ​A “Força Nacional Ambiental” se somará às tropas que já estão em atividade, segundo o ministro Meio Ambiente, Ricardo Salles. A presença de militares no campo se intensificou no último ano. Em agosto de 2019, com a “Garantia da Lei e da Ordem” (GLO), foi autorizado o uso das Forças Armadas na região Amazonia em ocasião dos incêndios promovidos pelo latifúndio. A presença dos militares foi prorrogada, estendendo-se até 16 de abril de 2020.

Já fazem quase 3 meses que há uma onda de protestos por parte dos servidores da saúde, por conta de salários atrasados, falta de remédios, leitos e o mínimo necessário para se ter boas condições não só de trabalho como de atendimento para os pacientes. Desde então a defasagem na saúde só aumenta, pessoas chegam às unidades de atendimento e não conseguem ser atendidas, muitas delas com quadros patológicos graves acabam vindo a óbito.

A quarta manifestação contra o aumento da tarifa dos transportes em São Paulo tomou as ruas do centro da cidade no dia 23 de janeiro desafiando todo o aparato repressivo do governo Dória (PSDB).​ ​O protesto teve início em frente ao terminal de ônibus D. Pedro II reunindo centenas de jovens e estudantes que marcharam até a Secretária de Transportes da cidade, onde denunciaram os cortes das linhas de ônibus.

Na manhã do dia 27 de janeiro, trabalhadores em dois bairros de Belém realizaram atos contra as precárias condições de saneamento básico que pioram ainda mais devido ao chamado "inverno amazônico", período em que ocorrem fortes chuvas diárias na região.​ ​Por volta das 9h os trabalhadores interditaram com barricadas de pneus e pedaços de madeira a rodovia do Tapanã, umas das principais via do bairro. O trabalhador João da Cruz mora há 18 anos no bairro e denuncia as precárias condições. 

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

EQUADOR: LIBERDADE AO COMPANHEIRO CRISTIAN MONTERO!


Cristian Montero, ativista político, foi preso pela polícia equatoriana, segundo nota difundida pela Frente de Lutas em Defesa do Povo (FLDP) do Equador. O ativista foi acusado de rebeldia, paralisação de serviços públicos e terrorismo, entre outras coisas. Na realidade, ele participa da luta contra as grandes mineradoras que expulsam camponeses no interior do país.

Segundo nota, a FLDP denuncia que o objetivo do velho Estado é desmobilizar o movimento operário e as organizações camponesas sob sua direção. “A estratégia do regime”, afirmam, “também se baseia na aquisição de armas e demais apetrechos militares para comprometer as Forças Armadas de maneira direta na repressão do povo; mas não só isso, implantaram todo um contingente de inteligência que procura reunir informações sobre o elemento consciente da classe e do povo para prosseguir com a sua neutralização. Toda esta campanha visa um único objetivo: dar rédeas soltas às medidas do FMI das quais o regime não renunciou, apesar do levante popular de Outubro.”

“Que o regime compreenda isto: a repressão apenas alimenta o crescente e determinado protesto popular. Que o regime não acredite que vai encontrar o povo e os camponeses pobres armados com cartazes, panelas, apitos, tambores e cantos tristes; ele se deparará com um força popular com direção proletária correta, firme, determinada, disposta a usar violência revolucionária para deter a campanha repressiva do governo e as políticas econômicas que vão contra a soberania nacional e atentam contra a economia do povo”, conclui a FDLP.

Nós, do CEBRASPO, exigimos a libertação imediata de Cristian Montero e de todos os presos políticos democráticos e revolucionários do Equador, e repercutimos a grave denúncia de perseguição por parte do velho estado do Equador aos elementos mais combativos dos levantes populares de Outubro!

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

ÍNDIA: VELHO ESTADO PRENDE PROFESSOR KASEEM

Segundo o portal de notícias internacional Dazibao Rojo, foi preso em 18 de janeiro de 2020 o Professor da Universidade de Osmania, Chintakindi Kaseem, detido pela polícia de Telengana sob a draconiana Lei de Prevenção de Atividades Ilegais (UAPA) por suposto envolvimento com os revolucionários maoístas do Partido Comunista da Índia (Maoísta).



Professor Kaseem foi recentemente apontado como Secretário Geral da Associação de Escritores Revolucionários (Viplava Rachayitala Sangam, ou conhecido pela sigla ViRaSam), uma entidade de intelectuais comprometidos com a defesa dos direitos do povo. 

A polícia de Telengana tem sido acusada de reprimir os dissidentes e críticos do estado, e da prisão de vários ativistas e defensores dos direitos dos povos, como o presidente de Telangana Vidyarthi Vedika, Bandari Maddileti, o vice-presidente regional da Frente de Telangana Praja, Nalamasi Krishna, e o professor assistente da Universidade de Osmania, K Jagan, acusados de terem vínculos com o PCI (maoísta).

Como já temos divulgado no nosso blog, esta Lei de Prevenção de Atividades Ilegais (UAPA) tem sido usada para reprimir e intimidar as massas na sua luta pelos direitos democráticos mais básicos, segundo denunciam os movimentos populares, democráticos e revolucionários.

Nós, do CEBRASPO, condenamos mais esta prisão política sob o gerenciamento do Primeiro Ministro fascista Modi, do BJP (Partido do Povo Indiano) que tem promovido  ferozmente políticas anti-povo e ataques contra todos os que lutam pelos direitos do povo. 

terça-feira, 7 de janeiro de 2020

MA: PISTOLEIROS EXECUTAM DOIS CAMPONESES NA BAIXADA MARANHENSE


Reproduzimos nota pública, assinada por diversas entidades e organizações, denunciando o covarde assassinato de dois camponeses na comunidade de Cedro, na Baixada Ocidental Maranhense (Arari), no Maranhão. 

Segundo a nota, na madrugada do dia 05 de janeiro de 2020, quatro pistoleiros fortemente armados, invadiram a residência de CELINO FERNANDES e WANDERSON DE JESUS RODRIGUES FERNANDES, pai e filho, respectivamente, moradores da comunidade Cedro, município de Arari e os executaram com vários disparos de arma de fogo nos seus rostos, sem oportunidade de qualquer defesa, fato presenciado pela esposa, filhos e netos;

Os dois camponeses, juntamente com Adriana de Jesus Rodrigues Fernandes, filha de Celino, já haviam sido criminalizados anteriormente, e ficaram presos por 70 dias, conforme denunciam na nota.

Estendemos nossa solidariedade e exigimos justiça para os camponeses. Terra a quem nela trabalha!

Abaixo, reproduzimos a nota em sua íntegra:

Wanderson de Jesus Rodrigues Fernandes (a esquerda) e seu pai, Celino Fernandes (a direita)/Foto: Fóruns e Redes de Cidadania do Maranhão

NOTA PUBLICA DE PESAR, REPUDIO E SOLIDARIEDADE.

Pistoleiros matam dois camponeses na Baixada Ocidental Maranhense – Arari.

As organizações da sociedade civil, que esta assinam, vem, a público se manifestar nos seguintes termos:
1 – Na madrugada do dia 05 de janeiro de 2020, quatro pistoleiros fortemente armados, invadiram a residência de CELINO FERNANDES e WANDERSON DE JESUS RODRIGUES FERNANDES, pai e filho, respectivamente, moradores da comunidade Cedro, município de Arari e os executaram com vários disparos de arma de fogo nos seus rostos, sem oportunidade de qualquer defesa, fato presenciado pela esposa, filhos e netos;
2 – Os pistoleiros chegaram à comunidade e às residências dos camponeses dizendo serem da polícia e que estavam cumprindo ordem de prisão. Trajavam coletes da polícia civil, todos encapuzados, arrombaram as residências e assassinaram os lavradores;
3 – Os camponeses CELINO FERNANDES e WANDERSON DE JESUS RODRIGUES FERNANDES, no ano de 2019, juntamente com mais três camponeses, inclusive Adriana de Jesus Rodrigues Fernandes, filha de Celino, presidente da associação quilombola de Cedro, foram representados criminalmente pelo delegado de Arari Alcides Martins Nunes Neto, denunciados pela promotora Lícia Ramos Cavalcante Muniz, e aceita pelo juiz, Luiz Emilio Braúna Bittencurt Júnior, tendo a época ficado presos por mais de 70 (setenta) dias no  Presídio Regional de Viana;
4 – Há muito tempo a comunidade Cedro, principalmente os lavradores assassinados, haviam denunciado aos órgãos do estado, Delegacia de Polícia, Ministério Público, ITERMA, INCRA, IBAMA, SEMA, SEDIHPOP, o conflito agrário envolvendo a comunidade e a família da desembargadora Ângela Salazar, que cercam os campos públicos para criação de gado bubalino, inclusive com cercas elétricas, local de onde os moradores retiram o sustento de seus familiares, por meio do pescado e da criação de animais;
5 – Essa política deliberada das autoridades de Arari de criminalizar as lideranças sociais, com representações criminais, inquéritos policiais, denúncias, decisões judiciais favoráveis ao latifúndio, tem servido apenas para deixar ainda mais vulneráveis as lideranças sociais, que legitimamente lutam pelos seus territórios;
6 – Não temos dúvidas que essa exposição das lideranças termina por chancelar e encorajar particulares e seus pistoleiros a fazerem a vingança com as próprias mãos, forma de criar uma cortina de fumaça sobre o verdadeiro conflito: a luta pela terra;
7 – Sabemos que o verdadeiro objetivo dessas mortes e ameaças é criar um clima de medo nas comunidades e suas lideranças a não continuarem a luta, esses matadores de aluguel apenas cumprem o restante do trabalho já iniciado pelas autoridades, de criminalização de lideranças, os pistoleiros se acham no direito de eliminá-los.
8 – O governo Flávio Dino, tem as mãos sujas de sague dos povos da terra, camponeses, quilombolas e ribeirinhos que brutalmente são assassinados no Maranhão. Até agora, o governo nada fez para solucionar o conflito, muitos menos expulsou os grileiros de terras públicas da baixada ocidental maranhense;
9 – As mortes dos lavradores em Cedro não é algo isolado ou desvinculado do que se vive hoje no Brasil, a política bolsonarista é uma declaração de guerra aos povos tradicionais, indígenas, quilombolas, ribeirinhos e camponeses em geral. O Governo está legalizando e armando as milícias privadas de fazendeiros e anunciando uma criminosa exclusão de ilicitude das forças militares (GLOs) em reintegrações de posse, para transformar as forças armadas em uma verdadeira milícia pública, institucionalizando a violência do Estado a serviço do grande capital e do agronegócio. Além e claro da Medida Provisória – MP 910/2019, que pretende instituir novas regras para a regularização de terras no país (legalizar a grilagem de terras públicas).
10 – Diante disso, repudiamos toda e qualquer política do governo do estado e do projeto bolsonarista que venha ameaçar a existência dos povos, sua autonomia e dignidade.
11- Assim, EXIGIMOS dos órgãos públicos e do governo do estado do Maranhão a imediata elucidação desses bárbaros crimes, sejam os autores processados e ao final condenados às penas das leis brasileiras. Assim como a imediata retirada de grileiros dos campos públicos da baixada ocidental maranhense.
12 – Por fim, queremos manifestar nosso pesar a todos os familiares e a comunidade de Cedro por esta imensa dor que todos passam, bem como, manifestar nossa total solidariedade.
Arari, 05 de janeiro de 2020.

  1. Fóruns e Redes de Cidadania do Maranhão
  2. Associação Quilombola dos moradores do povoado Cedro 
  3. Associação Brasileira dos Advogados do Povo – ABRAPO 
  4. Animação dos Cristãos no Meio Rural – ACR/MA
  5. Central Sindical e Popular – CSP Conlutas
  6. Associação de moradores do povoado Flexeiras
  7. Associação Comunitária dos moradores de Santa Maria 1
  8. Associação comunitária dos moradores da comunidade de Santa Maria 2
  9. Associação dos Trabalhadores Rurais do Povoado Cheiroso
  10. Associação dos Pequenos Produtores Rurais Quilombolas de Assutinga
  11. Associação dos Produtores Rurais Quilombolas das Ilhas do Teso
  12. Associação dos Pequenos Produtores Rurais Quilombola de Flexeiras 
  13. União dos Moradores da Comunidade de Flores
  14. Associação Quilombola dos moradores da Mata de São Benedito 3
  15. Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Vargem Grande/MA – SINTRANSPEM/VG
  16. Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar de Vargem Grande 
  17. Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Cantanhede/MA – SINTASPUMC
  18. Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Cantanhede/MA
  19. Associação Agroecológica Tijupá
  20. Boscheto Luna de Gaia
  21. Coletivo Andes Em Luta (CAEL) – MA
  22. Coletivo Teatro da Sacola (DF-MA)
  23. Conselho Indigenista Missionário – CIMI
  24. Corrente Socialista dos Trabalhadores – CST (PSOL)
  25. Fórum Maranhense de Mulheres 
  26. Grupo de Estudos: Desenvolvimento, Modernidade e Meio Ambiente da Universidade Federal do Maranhão (GEDMMA/UFMA) 
  27. Marcha Mundial das Mulheres (MA)
  28. Movimento em Defesa da Ilha
  29. Movimento Hip Hop Militante Quilombo Urbano
  30. Movimento Interestadual de Quebradeiras de Coco Babaçu – MIQCB
  31. Movimento Mulheres em Luta -MA
  32. Movimento Pela Saúde dos Povos – MSP
  33. ONG Arte – Mojó 
  34. Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados PSTU
  35. Resistência (PSOL)
  36. Sindicato dos (as) Trabalhadores (as) nas Entidades e Centrais Sindicais, Associações, Federações, Órgãos de Classe, Entidades Não Governamentais e Partidos Políticos no Estado do Maranhão – SINTES-MA
  37. União Wicca do Brasil
  38. Sindicato dos Servidores Públicos de São Bernardo/MA – SIDSERP/SB
  39. Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos – CEBRASPO 

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

MÉXICO: REVOLUCIONÁRIO LANÇA POEMAS EM HOMENAGEM AO DR. SERNAS

O movimento revolucionário Corrente do Povo - Sol Vermelho divulgou, em seu site, poemas escritos pelo poeta revolucionário Martín Martínez Rodríguez em homenagem à Ernesto Sernas García, advogado do povo sequestrado e desaparecido pelo velho Estado mexicano no dia 10 de março de 2018.



Seguem aqui a reprodução dos poemas em homenagem ao Dr. Sernas, em espanhol:

LITIGANTE

Al camarada Ernesto Sernas García, Doctor en Derecho, abogado defensor del pueblo. Ernesto Sernas es víctima de desaparición forzada desde el 10 de mayo de 2018.

¡Ven con nosotros / toma posesión de tus sueños! / regresa de la espera / aprieta nuestras manos (…) Nuestras manos crispadas de esperar tanto / ¡Ven a ocupar tu puesto! ADOLFO CELDRÁN

I.- HERMANO DE CAMINO HONRADO…

Nieblas fascistas enlutan los tiempos

aviones malditos patrullan los cielos

estruendos de guerra hielan sonrisas

se oyen sonidos de marchas sangrentas



 Y tú, ave fecunda, retas a la muerte no aceptas

quedarte pasmado no quieres el hueco

silente con estruendo incitas: ¡Camaradas al combate!



De recovecos terráqueos surge el ámbar fraterno

no hay duda ni temor ante el histórico reto

dos clases se tensan, dos armas se enfrentan:

el furor proletario contra el horrendo império



Tropas fascistas entonan arengas

el oleaje de los pueblos se alerta

tu presencia nos guía camarada litigante

tu voz es mando potente:

¡Proletarios, adelante!



Ejércitos mercenarios ciegan los sueños

horca y esclavitud quieren para los pueblos

pero tú ordenas litigante: ¡Comunistas al combate!



II.- DEL ORIGEN

Hijo del légamo, barro negro

profundo ahuehuete, águila negra

el venado te saluda hijo de Oaxaca

defensor de las masas



Tu viento en el istmo, tu amor en Cañada

siembras en la Costa, sublevas la Mixteca

los ríos te aman desde el Papaloapan



En el Sur de la Sierra, al Norte de los pedernales

vas dejando furor, igual en Valles Centrales



Te forjas en el odio, de la venganza creces

del pueblo eres celaje, tuyo el orgullo de la raza

cocijo te ofrenda el trueno de sus rayos

cozobi te ama como a su maíz tierno

abogado honesto, abogado Hermano



III.- SEMBRÁNDOTE EN EL CAMPO…

Joven jurista, caminabas limpio por el mundo

y viste a tu pueblo infestado de opresión

sentiste lo cabizbajo de sus ojos

lo nauseabundo que envejece el corazón



Te quedaste a nuestro lado con rectitud juarista

abogado como Ricardo Flores Magón

nos diste el axioma y la palabra

con tu verbo entendimos la Revolución



Hermano de torbellinos ¡Hierve el Agua camarada!

Tú en el corazón mixteco, mixe y zapoteco.

Bellos loros te cantan rimando tu nombre al sol:

¡Camarada Ernesto, ven a defender mazatecos

agita pechos nahuas, inflama el orgullo de chontales

                                                               y amuzgos!



Contra el amo el furor de tu roja bandera

poderosa es tu pluma de trazo bolchevique

¡Abogado que sueñas en levantar la patria!

Zéeda gúunda niiá lii Ernesto*.


MARTÍN MARTÍNEZ RODRÍGUEZ

* Vengo a cantar contigo Ernesto.



A postagem no site da Corrente do Povo - Sol Vermelho pode ser visualizada no seguinte endereço: http://solrojista.blogspot.com/2019/12/poema-al-camarada-sernas-garcia.html